Visitar Site

Os 2 pontos que a Lei do Inquilinato favorece Empresários

Os 2 pontos que a Lei do Inquilinato favorece Empresários

Muitos Empresários que pagam aluguel com valores abusivos nos dias de hoje estão recorrendo a um tipo de ação judicial que poucos conhecem, essas ações são intituladas como Renovatórias de Aluguel. Quase ninguém sabe sobre esse benefício então leia com atenção e descubra se você também pode economizar com o aluguel da sua empresa.

Verifique se você preenche os 2 requisitos exigidos que ao final desse post eu vou te explicar qual o próximo passo para conquistar esse benefício.

Ação renovatória é a ação judicial proposta pelo inquilino contra seu locador para que um contrato locação comercial seja renovado de modo forçado, mesmo contra a vontade do locador, permitindo que o empresário, inquilino, permaneça conduzindo seu negócio naquele ponto comercial.

A principal finalidade da Ação Renovatória é proteger o fundo de comércio criado pelo empresário locatário pelos anos em que está instalado no local, protegendo seus diversos investimentos; como os investimentos na infraestrutura do imóvel comercial, na clientela constituída naquele ponto comercial ao longo dos anos, pelas propagandas e publicidade ali inseridas, sem mencionar a valorização do imóvel pelo fato de estar locado e pela sua conservação.

REQUISITOS – Para a interposição da Ação Renovatória de Locação Comercial, o empresário locatário precisa preencher alguns requisitos essenciais elencados no artigo 51 da Lei do Inquilinato:

– o locatário deve ser empresário;

– estar instalado no imóvel por no mínimo cinco anos, possuindo um com contrato escrito, e estar exercendo sua atividade comercial pelo prazo mínimo de três anos sem interrupção.

Preenchidos os requisitos, o empresário locatário poderá, em juízo, requerer a renovação de seu contrato de locação, revertendo, assim, as especulações e os abusos indiscriminados dos aluguéis.

O direito a renovação do contrato estende-se às locações celebradas por indústrias e sociedades civis com fins de obtenção de lucro e que estão regularmente constituídas.

DO PRAZO – Perde o direito a renovação aquele que não propuser a ação no prazo de um ano no máximo e até seis meses, no mínimo, anteriores à data da finalização do prazo do contrato em vigor.

LIMITAÇÃO – A fundamentação para a Ação Renovatória de Locação Comercial não serve como fundamento para questões residenciais e nem como Ação Revisional de Aluguel.

RECUSAS LÍCITAS DO LOCADOR

O locador não estará obrigado a renovar o contrato se:

I – por determinação do Poder Público, tiver que realizar no imóvel obras que importarem na sua radical transformação; ou para fazer modificações de tal natureza que aumente o valor do negócio ou da propriedade;

II – o imóvel vier a ser utilizado por ele próprio ou para transferência de fundo de comércio existente há mais de um ano, sendo detentor da maioria do capital o locador, seu cônjuge, ascendente ou descendente.

Na hipótese do item II, o imóvel não poderá ser destinado ao uso do mesmo ramo do locatário, salvo se a locação também envolvia o fundo de comércio, com as instalações e pertences.

Nas locações de espaço em shopping centers, o locador não poderá recusar a renovação do contrato com fundamento no item II.

INDENIZAÇÃO – O locatário terá direito a indenização para ressarcimento dos prejuízos e dos lucros cessantes que tiver que arcar com mudança, perda do lugar e desvalorização do fundo de comércio, se a renovação não ocorrer em razão de proposta de terceiro, em melhores condições, ou se o locador, no prazo de três meses da entrega do imóvel, não der o destino alegado ou não iniciar as obras determinadas pelo Poder Público ou que declarou pretender realizar.

SUBLOCAÇÃO – O direito a renovação do contrato poderá ser exercido pelos cessionários ou sucessores da locação; no caso de sublocação total do imóvel, o direito a renovação somente poderá ser exercido pelo sublocatário.

DUPLO DIREITO – Quando o contrato autorizar que o locatário utilize o imóvel para as atividades de sociedade de que faça parte e que a esta passe a pertencer o fundo de comércio, o direito a renovação poderá ser exercido pelo locatário ou pela sociedade.

Dissolvida a sociedade comercial por morte de um dos sócios, o sócio sobrevivente fica sub-rogado no direito a renovação, desde que continue no mesmo ramo.

Espero ter te ajudado e caso ainda tenha dúvidas Fale Comigo.
Preencha  o Formulário
abaixo que te respondo.

Os 2 pontos que a Lei do Inquilinato favorece Empresários

Bibliografia e Citações:
1 ABNT ( Associação Brasileira de Normas Técnicas);
2 IBAPE (Instituto Brasileiro de Perícias),
3 CRECI – COFECI Conselho Regional dos Corretores de Imóveis;
4 Lei do Inquilinato nº 8.245/91 – artigos 51 a 57.
5 NBR 14653-1

Leonardo Leão
Perito Judicial – RJ
Assistente Técnico em Avaliação Imobiliária.

 

Os 2 pontos que a Lei do Inquilinato favorece Empresários

Fale com um especialista!

Laudos Periciais de Avaliação Imobiliária
Pericia Judicial
Leonardo Leão

Laudos Periciais de Avaliação Imobiliária

Diversos Magistrados estão relatando problemas em Laudos Periciais de Avaliação Imobiliária. Esse período de grande mudança em todo o mercado imobiliário está deixando os Peritos Engenheiros e Arquitetos em grandes apuros no tocante a avaliação de imóveis, tanto para venda como para renovatórias de aluguel. O motivo é que esses profissionais foram capacitados no tocante

Leia Mais »
O Perito Judicial tem fé pública
Pericia Judicial
Leonardo Leão

O Perito Judicial tem fé pública

O Perito Judicial tem fé pública, ele  é o representante direto do juiz, tem o dever de executar seu trabalho com honestidade, ética e fazer o melhor possível com os recursos que ele tem na execução do seu laudo pericial. Contudo se ele deixar de agir da forme correta ele vai responder na justiça pelos

Leia Mais »
Qual a importância da Prova Pericial
Pericia Judicial
Leonardo Leão

Qual a importância da Prova Pericial? Saiba Mais

Qual a importância da Prova Pericial e qual a sua relevância dentro de um processo judicial é o tema que iremos esclarecer no dia de hoje. Leia este artigo e descubra mais informações. Com o advento do Novo Código de Processo Civil em 2015, a Prova Pericial ampliou sua importância nos processos jurídicos. E para

Leia Mais »
Rolar para cima