Visitar Site

Como produzir provas judiciais ?

Como produzir provas judiciais ?

São vários os tipos de provas que são aceitas dentro de um processo judicial e estas provas também podem ser utilizadas dentro da criação do laudo pericial. As provas podem se apresentadas através de DOCUMENTOS que comprovem o que se quer provar de fato, no caso de uma avaliação de imóveis, podemos usar o Registro do Imóvel, a inscrição do IPTU e dependendo do caso até contas de luz e água.

Podemos anexar também CONTRATOS de locação ou de compra e venda de imóveis amostrais para servirem da base da criação do laudo pericial, podemos anexar fotos e vídeos do imóvel, tanto da parte interna quanto da parte externa e de sua área periférica, podemos ainda incorporar ao lado imagens aéreas e de localização por coordenadas de GPS.

Uma das provas que cabe ao perito criar durante a vistoria do imóvel é realizar a escutativa das partes, dos vizinhos e das testemunhas que possam acrescentar informações para serem avaliadas pelo perito.

São vários os tipos de provas que podemos anexar ao laudo pericial, basta que a prova seja verdadeira e que de alguma forma alimente o laudo com informações que ajudem na tomada de decisão. Lembrando que não cabe ao perito esse julgamento, cabe ao perito a devida investigação, coleta de provas e a construção do seu parecer técnico.

Perito- do latim peritus – hábil, experimentado, do que sabe por experiência.

 O perito é uma pessoa versada ou entendida na ciência, arte ou ofício afeito a certos fatos da causa, a quem se atribui a função de examinar, quer para perceber ou constatar, quer para apreciar, fornecendo ao juiz elementos de prova relativamente aos mesmos. Ou ainda pode-se definir como um profissional técnico, cuja atividade precípua é retratar dados exclusivos sobre a matéria de fato, em seu estado natural e atualizado.

O perito atendendo ao que lhe é solicitado, sua conclusão formulada em razão do exame da pessoa, coisa ou lugar, constitui um juízo técnico. Quanto mais perfeita for a perícia técnica retratando a palavra da ciência ou da arte à vista dos fatos sujeitos ao exame, mais acatável será o parecer judicial.

Ao perito só é dado responder quanto à matéria de fato relativo à causa, não relativa à matéria de direito. O perito não é um historiador. Deve pontuar-se dentro dos parâmetros delineadores de sua função. Tampouco acompanha os problemas decorrentes do tempo.

Como auxiliar direto do juiz – art. 149 do CPC, o perito sujeita-se à disciplina judiciária e à responsabilidade civil – art. 158 do CPC, sem prejuízo de demais sanções previstas em lei, incluída a lei penal.

expert deverá cumprir com isenção, empenho e honestidade sua função, isto é, cumprir conscientemente o encargo que lhe foi cometido (art. 466 do CPC). Aplicam-se ao perito os motivos de impedimento e suspeição do art. 148 do CPC e seguintes.

O Juiz chama o perito para que conheça o fato; o conhecimento do perito se forma de acordo com sua investigação e aplicação das normas técnicas de avaliação de imóveis, o perito relata  comunicação da verdade, sem defender nenhuma das partes, ele emite um laudo imparcial, isso acontece porque o perito descreve observações colhidas segundo o ensinamento de uma ciência ou arte.

 

Direitos e deveres do perito

Ao perito, como auxiliar do juiz, são assegurados direitos, sem os quais não poderia exercer a função a qual lhe foi confiada. Em contraposição, são imputados severos deveres e cautelas, de cuja conduta ilibada e profissional depende a prova técnica. Cumpre pautar suas funções segundo o mais rígido princípio de moralidade.

 

Deveres do perito

Dever de aceitar o encargo: sendo a prova pericial uma restauração dos fatos, uma interpretação dos mesmos, uma conclusão ou série de conclusões a respeito deles, quer pela inspeção dos respectivos vestígios, quer pelos elementos que constarem dos autos a tal respeito e; em havendo competência técnica e do conhecimento intencional dos fatos, deve o perito aceitar o encargo que lhe foi confiado pelo juiz

Dever de servir: o perito, uma vez aceito o encargo, assume a obrigação de exercer a função, qual a de fornecer ao juiz os elementos que dele se reclamam para a instrução do processo ou para a elucidação do juiz no tocante à interpretação dos fatos da causa

De respeitar os prazos: para que as diligências periciais não se protelem indefinidamente, o perito deverá envidar esforços para concluir seus trabalhos dentro do prazo que lhe foi concedido pelo magistrado, conforme teor do art. 476 do CPC.

De comparecer à audiência: a parte que desejar esclarecimentos do perito e do assistente técnico requererá ao juiz que mande intimá-los a comparecer à audiência, formulando desde logo as perguntas, sob a forma de quesitos

Dever de lealdade: diz Herotildes da Silva Lima: “deve (o perito) ser sincero, diligente, cuidadoso, escrupuloso, verdadeiro, leal, honesto” 

 

Direitos do perito

Escusar-se da atribuição: o artigo 157, § 1º, CPC, prevê expressamente impedimento e suspeição, como motivos para recusar o encargo. A diferença entre eles é que o impedimento diz respeito às funções, ao cargo; enquanto que a suspeição refere-se à pessoa. Mas não é só, há, ainda, motivos de foro íntimo que servem como legítima escusa ao perito, quando o trabalho ferir a consciência ou os sentimentos do perito.

De pedir prorrogação de prazo: facultado pelo art. 476 do CPC., o perito tem o direito de pedir prorrogação de prazo e até mesmo o adiantamento da audiência, justificando o motivo.

De recorrer às fontes de informação: para a realização dos exames, os peritos procederão livremente, podendo ouvir testemunhas e recorrer a outras fontes de informação”.

Direito à indenização das despesas: as despesas relativas às perícias judiciais serão adiantadas pela parte que as houver requerido, ou rateadas quando a perícia for determinada pelo juiz, conforme art. 95 do CPC.

Direito a honorários: além da indenização correspondente ao montante dos gastos com a perícia feitos pelo perito, tem este o direito a honorários em retribuição do seu serviço. Os honorários que são  considerados despesas do processo.

 

Conclusão dos atos operatórios do perito em provas judicias, em síntese: 

perito detecta o problema em sua extensão; o juiz recebe as alegações.

perito separa os aspectos mais importantes; o juiz estabelece os limites da litiscontestação;

perito, apura os fatores possíveis que podem ser causa do problema, através de uma observação sagaz da natureza; o juiz instrui o processo e, através das provas, busca estabelecer as premissas de fato;

perito descreve todos os fatos da forma mais simples possível, estabelecendo as hipóteses; o juiz busca garimpar o conjunto probatório, para estabelecer o que se demonstrou ter ocorrido no mundo dos fatos.

Como produzir provas judiciais ?

Espero ter te ajudado e caso ainda tenha dúvidas Fale Comigo.
Preencha  o Formulário
que te respondo.

Bibliografia e Citações:
1 ABNT ( Associação Brasileira de Normas Técnicas);
2 IBAPE (Instituto Brasileiro de Perícias),
3 CRECI – COFECI Conselho Regional dos Corretores de Imóveis;

Leonardo Leão
Perito Judicial – RJ
Assistente Técnico em Pericias de  Avaliação Imobiliária.
Pericia Extrajudicial em Avaliação Imobiliária
Consultoria em Financiamentos Imobiliários

Como produzir provas judiciais

Fale com um especialista!

Laudos Periciais de Avaliação Imobiliária
Pericia Judicial
Leonardo Leão

Laudos Periciais de Avaliação Imobiliária

Diversos Magistrados estão relatando problemas em Laudos Periciais de Avaliação Imobiliária. Esse período de grande mudança em todo o mercado imobiliário está deixando os Peritos Engenheiros e Arquitetos em grandes apuros no tocante a avaliação de imóveis, tanto para venda como para renovatórias de aluguel. O motivo é que esses profissionais foram capacitados no tocante

Leia Mais »
O Perito Judicial tem fé pública
Pericia Judicial
Leonardo Leão

O Perito Judicial tem fé pública

O Perito Judicial tem fé pública, ele  é o representante direto do juiz, tem o dever de executar seu trabalho com honestidade, ética e fazer o melhor possível com os recursos que ele tem na execução do seu laudo pericial. Contudo se ele deixar de agir da forme correta ele vai responder na justiça pelos

Leia Mais »
Qual a importância da Prova Pericial
Pericia Judicial
Leonardo Leão

Qual a importância da Prova Pericial? Saiba Mais

Qual a importância da Prova Pericial e qual a sua relevância dentro de um processo judicial é o tema que iremos esclarecer no dia de hoje. Leia este artigo e descubra mais informações. Com o advento do Novo Código de Processo Civil em 2015, a Prova Pericial ampliou sua importância nos processos jurídicos. E para

Leia Mais »
Rolar para cima